Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

“Reclusão e Ética Pública”

Irapuan Aguiar, advogado e professor. Foto: Arquivo Pessoal

Com o título “Reclusão e Ética Pública”, eis artigo de Irapuan Diniz de Aguiar, advogado e professor. “É imprescindível a força da lei penal, o temor das grades,
ou então o erário continuará como casa de ninguém”, expõe o articulista.

Confira:

Os episódios lamentáveis noticiados, a cada dia, pela imprensa sobre a prática de crimes de toda espécie praticados por autoridades públicas dos três Poderes do Estado – Executivo, Legislativo e Judiciário -, impõem um controle e fiscalização mais rígidos por parte dos administradores, legisladores e julgadores porquanto deveriam ser exemplos de dignidade para o povo. A despeito de haver no Código Penal artigos que, em princípio,
poderiam alcançar servidores de quaisquer esferas públicas por atos de corrupção, existem, sim, muitos fatos que, embora deixem claras a intenção e a prática de ações ilegais contra o erário – em benefício de seu autor ou em favor de seu grupo, de sua corporação ou de sua instituição, e sempre em prejuízo da sociedade -, ainda não se acham alcançados pela lei como delito.

Criou-se, infelizmente, a falsa idéia, em razão dos vícios políticos, de que o que é do Estado não tem dono. Ou melhor, quem estiver à testa do órgão estatal se achará também o senhor dos seus bens e das suas leis. Não basta condenar a autoridade pública ou seu agente a ressarcir os cofres públicos ou até perder o cargo após lento processo administrativo. Os altos interesses da sociedade e a cidadania exigem outras tipificações penais para
certas condutas.

É imprescindível a força da lei penal, o temor das grades, ou então o erário continuará como casa de ninguém. Seria aconselhável tipificar como crime o “desvio da finalidade nas atividades públicas”, acrescentando-o ao Código Penal, no Capítulo “Dos crimes praticados por servidor público contra a administração em geral”, pois o fim da atividade pública é o interesse coletivo e não a satisfação de vontades individuais ou grupais. Com a adoção dessa medida, os agentes públicos de qualquer dos Poderes, caso não se conduzam com decência e honestidade, responderiam penalmente e jamais esqueceriam o que seja bem público, vale dizer, de toda a sociedade sob
administração estatal e bem privado aquele que pertence ao indivíduo ou entidade particular. A pena cominada a esta tipificação penal deveria ser a de reclusão de dois a seis anos. Talvez, assim, se poderia alcançar à ética pública.

Nessa perspectiva, a vaidade e o interesse grupal ou corporativo não podem, sob qualquer pretexto, nem mesmo ao abrigo desta ou daquela instituição, confundir-se com a necessidade social ou interesse coletivo. Direito, Justiça e dignidade devem ser bem dosadas, a fim de que não se misturem com desejos escusos e preconceitos mascarados. A propósito, seria conveniente e oportuno também que as autoridades públicas de todos os Poderes do Estado tomassem conhecimento do “Código de Conduta para os Servidores Encarregados de Fazer Cumprir a Lei”, adotado pela Assembléia Geral das Nações Unidas, cuja Resolução expressamente preconiza que esses
servidores “cumprirão em todo momento os deveres que lhes impõe a lei, servindo a sua comunidade e protegendo todas as pessoas contra atos ilegais, em consonância com o alto grau de responsabilidade exigido por sua profissão”.

*Irapuan Diniz de Aguiar,

Advogado e professor.

COMPARTILHE:
Mais Notícias
“Não aprendi dizer adeus” – Leandro e Leonardo

“Não aprendi dizer adeus” – Leandro e Leonardo

https://www.youtube.com/watch?v=iwxeWtdTGyQ Homenagem do Blogdoeliomar ao cantor e compositor goiano Luiz José Costa, o Leandro, que neste domingo deixa 26 anos de saudade.

Floresta interrompe arrancada e pode voltar à zona de rebaixamento no complemento da rodada da Série C

Floresta interrompe arrancada e pode voltar à zona de rebaixamento no complemento da rodada da Série C

Após duas rodadas com vitórias, o Floresta voltou a ser derrotado pela Série C do Campeonato Brasileiro, na noite deste sábado (22), quando foi superado pelo Tombense, por 3 a

TJCE tem Câmaras de Direito Público e parte criminal avaliadas como “excelente” pelo CNJ

TJCE tem Câmaras de Direito Público e parte criminal avaliadas como “excelente” pelo CNJ

“Muito me orgulho deste Tribunal. Vivi várias fases dele, estamos conscientes e tranquilos que ele vem melhorando ano após ano. Nós continuamos à disposição, abertos a críticas e sugestões, que

Loterias Online da Caixa têm instabilidade em dia da Quina de São João

Loterias Online da Caixa têm instabilidade em dia da Quina de São João

Os sistemas de apostas online das loterias da Caixa Econômica Federal apresentaram instabilidade na manhã deste sábado (22), com a indisponibilidade para apostas em diversas modalidades, entre elas a Quina

“O terror das facções armadas no Ceará”

“O terror das facções armadas no Ceará”

"Facções armadas espalham medo e violência, revelando falhas na segurança pública e necessidade de ação urgente no Ceará", aponta o ex-superintendente da Polícia Civil do Ceará, César Wagner. Confira: O

Salmito prega união das pessoas com espírito público contra crime organizado no Ceará

Salmito prega união das pessoas com espírito público contra crime organizado no Ceará

O deputado estadual e sociólogo Salmito utilizou as redes sociais neste sábado (22) para sugerir a união das pessoas com espírito público para o combate ao crime organizado no Ceará.