Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Enfermeira cooperada tem vínculo empregatício reconhecido e receberá indenização

Questão de Justiça em discussão. Foto: Arquivo

“Constatado nos autos o desvirtuamento na relação de cooperativismo, na verdade, funcionou como verdadeira empregadora e intermediadora de mão de obra, razão pela qual se impõe o reconhecimento do vínculo empregatício entre a trabalhadora e a referida cooperativa”. Com base nesse entendimento, a juíza Maria Rafaela de Castro, atuando pela 2ª Vara do Trabalho de Caucaia(Região Metropolitana de Fortaleza), julgou procedente o reconhecimento do vínculo empregatício, a dispensa sem justa causa e o pagamento de verbas rescisórias de uma enfermeira.

De acordo com o art. 442 da CLT, parágrafo único, “qualquer que seja o ramo de atividade da sociedade cooperativa, não existe vínculo empregatício entre ela e seus associados, nem entre estes e os tomadores de serviços”. Porém na sentença, a magistrada aplicou o princípio da primazia da realidade sobre a forma e reconheceu que uma enfermeira cooperada, que prestava serviço a duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), ocorreu de forma que burla disposições legais pertinentes, tanto aquelas que disciplinam as sociedades cooperativas (Lei n. 12.690/12) quanto aquelas que, a exemplo do artigo 9º da CLT, protegem os direitos trabalhistas.

A juíza verificou que a cooperativa fornecia funcionários especialmente para atender a necessidade da UPA, inclusive, os direcionamentos dos trabalhos eram feitos pela Fundação que administrava o local. Ela observou também que o município de Caucaia foi conivente com a situação delineada, inclusive, sendo favorecido diretamente com a mão de obra, observando-se uma economia aos cofres públicos tanto com processo seletivo quanto para pagamento dos valores devidos. Assim determinou que a petição inicial, peças de defesa, ata de audiência e a sentença sigam para apuração junto ao Ministério Público do Trabalho para ser apurado o que se entende de direito.

A cooperativa foi condenada a assinar a carteira de trabalho da enfermeira, no período laborado, sob pena de pagamento de multa em favor da trabalhadora, e, caso assim não proceda, que a anotação seja feita pela secretaria da 2ª Vara do Trabalho de Caucaia.

Reconhecido o vínculo empregatício e a dispensa sem justa causa, deve ser realizado também pagamento de férias e 1/3 vencidas simples e proporcionais; 13º salário proporcional e integral; FGTS com multa dos 40%; aviso-prévio indenizado; adicional noturno nos plantões em que a obreira laborou à noite; pagamento dos plantões não pagos; danos morais no valor de R$ 2 mil; adicional de insalubridade em grau médio de 20% sobre o salário-mínimo em todo o período contratual com reflexos nas verbas descritas; entre outras. A condenação foi arbitrada provisoriamente em R$ 30 mil.

Da sentença, cabe recurso.

(Com site do TRT-CE)

COMPARTILHE:
Mais Notícias
Oposição protocola pedido de impeachment de Lula na Câmara

Oposição protocola pedido de impeachment de Lula na Câmara

Deputados federais da oposição protocolaram na quinta-feira (22) pedido de impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo a assessoria da deputada Carla Zambelli (PL-SP), autora da proposta, o

“Boogie do Bebê” – Tony Campello

“Boogie do Bebê” – Tony Campello

Homenagem do Blog ao cantor paulista Tony Campello, que neste sábado completa 88 anos.

Mulheres são maioria dos candidatos no concurso unificado

Mulheres são maioria dos candidatos no concurso unificado

Dos mais de 2,1 milhões de candidatos com inscrições confirmadas no Concurso Público Nacional Unificado, 56% são do sexo feminino, o equivalente a 1,2 milhão de pessoas. O dado faz

TJCE inicia na segunda-feira novo sistema que julga crimes de subtração de aparelhos celulares

TJCE inicia na segunda-feira novo sistema que julga crimes de subtração de aparelhos celulares

Como forma de processar e julgar todos os procedimentos criminais relacionados à subtração de aparelhos celulares, o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) inicia na segunda-feira (26) as atividades do

Sport é punido com portões fechados na Copa do Nordeste e Copa do Brasil

Sport é punido com portões fechados na Copa do Nordeste e Copa do Brasil

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu na tarde desta sexta-feira (23 ) que o Sport passará a jogar de portões fechados, quando da condição de mandante na Copa