Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Receita anula isenção tributária para líderes religiosos

Fachada da sede da Receita Federal,no DF. Foto: Agência Brasil

Líderes religiosos perdem isenção tributária sobre salários

Líderes religiosos, como pastores e ministros, deixarão de ter isenção tributária sobre os salários. A Receita Federal editou ato declaratório que reverteu decisão do governo anterior. A medida foi publicada nesta quarta-feira (17) no Diário Oficial da União.Líderes Líderes,Receita Federal Blog do Eliomar

Reversão da isenção tributáriaLíderes Líderes,Receita Federal Blog do Eliomar

Assinado pelo secretário da Receita Federal, Robinson Barreirinhas, o ato declaratório suspende o benefício concedido pelo ex-secretário especial do órgão Julio Cesar Vieira Gomes, pouco antes do início da campanha eleitoral de 2022. Segundo o Fisco, a reversão da isenção tributária seguiu determinação do Tribunal de Contas da União (TCU).

Interpretação da Receita Federal

O ato declaratório representa uma interpretação da Receita Federal sobre a aplicação de normas fiscais. Segundo o TCU, a isenção é considerada atípica porque não foi analisada pela Subsecretaria de Tributação da Receita.

Cancelamento do benefício

Segundo o ato cancelado, “serão consideradas remuneração somente as parcelas pagas com características e em condições que, comprovadamente, estejam relacionadas à natureza e à quantidade do trabalho executado, hipótese em que o ministro ou membro, em relação a essas parcelas, será considerado segurado contribuinte individual, prestador de serviços à entidade ou à instituição de ensino vocacional”.

Exoneração de Julio Cesar Vieira Gomes

O ex-secretário especial Julio Cesar foi exonerado da Receita Federal em junho do ano passado, após sair à tona o envolvimento dele no caso da liberação de joias dadas de presente por governos estrangeiros ao ex-presidente Jair Bolsonaro. Quando comandava o órgão, Julio Cesar assinou o despacho que pedia aos auditores da Receita no Aeroporto de Guarulhos que entregassem um conjunto de joias presenteadas pelo governo da Arábia Saudita ao ex-presidente em 2022. A defesa de Bolsonaro nega qualquer irregularidade.

(Agência Brasil)

COMPARTILHE:
Mais Notícias
Abin Paralela: Moraes retira sigilo de áudio de conversa de Bolsonaro

Abin Paralela: Moraes retira sigilo de áudio de conversa de Bolsonaro

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), retirou há pouco o sigilo do áudio no qual o ex-presidente Jair Bolsonaro, o ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional

Zagueiro do Itarema erra duas vezes seguidas e vídeo viraliza como resultado manipulado na Série C do Campeonato Cearense; Atleta é desligado do clube

Zagueiro do Itarema erra duas vezes seguidas e vídeo viraliza como resultado manipulado na Série C do Campeonato Cearense; Atleta é desligado do clube

O volante Ewerton teve o contrato anulado pela Itarema, equipe da terceira divisão do futebol cearense, no início da noite desta segunda-feira (15), após um vídeo viralizar nas redes sociais

Podemos realiza a 14ª Oficina da Vitória das Cidades

Podemos realiza a 14ª Oficina da Vitória das Cidades

Promovida pela Fundação Podemos, a 14ª Oficina da Vitória das Cidades reuniu, nesse fim de semana,, no Hotel Gran Mareiro, na Praia do Futuro, pré-candidatos ao próximo pleito. Renata Abreu,

Lula diz que atentado a Trump “empobrece a democracia”

Lula diz que atentado a Trump “empobrece a democracia”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, nesta segunda-feira (15), que o atentado contra o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, “empobrece a democracia”. Ao chegar para agenda de

“Risco de Bolsonaro II”

“Risco de Bolsonaro II”

"Bolsonaro deve imediatamente perder o 'réu primário' e tornar-se 'ficha suja'. Basta de leguleio e logorreia jurídica. Bolsonaro na cadeia já!", aponta o historiador Chico Teixeira. Confira: A situação mundial

PMB volta para a base de apoio do prefeito Sarto

PMB volta para a base de apoio do prefeito Sarto

Três meses após deixar a base de apoio do governo Sarto, o Partido da Mulher Brasileira (PMB) está de volta ao arco de aliança que apoia o projeto da reeleição