Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Rholden Queiroz é o novo presidente do Tribunal de Contas do Ceará

Rholden Queiroz é o novo presidente do Tribunal de Contas do Ceará. Foto: TCE

Por unanimidade, o conselheiro Rholden Queiroz foi eleito, nesta manhã de terça-feira, para a presidência do Tribunal de Contas do Ceará.

Ele cumprirá o biêno 2024-2025 em substituiçao a Valdomiro Távora Júnior, que deixaráa presidência da Corte e ocupara a vice-presidência. A posse ocorrerá em dezembro.

O conselheiro Edilberto Pontes foi eleito para corregedor-geral do TCE, enquanto Patrícia Saboya ocupará a função de ouvidora do tribunal.

Perfil

Empossado como Conselheiro do TCE Ceará em 6 de junho de 2012, foi o primeiro Procurador de Contas a ocupar a vaga destinada constitucionalmente a integrantes do Ministério Público de Contas.

Aprovado no primeiro concurso público para o cargo de Procurador de Contas junto ao TCE Ceará, exerceu desde a instalação do Ministério Público Especial, em outubro de 2007, até outubro de 2009, a função de Procurador-Geral, posição que reassumiu em novembro de 2011 e exerceu até junho de 2012. Ocupou o cargo de Corregedor da Corte de Contas no biênio 2014/2015. Foi eleito para o cargo de Vice-Presidente do TCE nos biênios 2016/2017 e 2018/2019.

Antes de se tornar membro da Corte de Contas do Estado do Ceará, ocupou os cargos de Auxiliar Judiciário junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (1995 a 1999), Analista Judiciário Executante de Mandados da Justiça Federal no Ceará (1999-2000), Advogado da União junto à Procuradoria Regional da União em Recife/PE (2000) e Procurador da Fazenda Nacional junto à Procuradoria da Fazenda Nacional no Ceará (2000-2007) e, finalmente, Procurador de Contas do Ministério Público Especial junto ao TCE/CE (2007-2012).

Na área acadêmica, é graduado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (1998). Concluiu, em 2002, especialização em Direito Tributário pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR. Em 2005, obteve o título de Mestre em Direito Constitucional e, em 2020, de Doutor em Direito Constitucional, ambos pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará.

É membro da Academia Cearense de Direito e autor de livros e artigos dentro da temática do controle externo e do orçamento público.

 

COMPARTILHE:
Mais Notícias
Maracanaú conta sua história em livro didático escrito por professores do município

Maracanaú conta sua história em livro didático escrito por professores do município

A Prefeitura de Maracanaú realizou nessa quinta-feira (18) o lançamento do livro didático “Maracanaú: Conhecendo e Fazendo a História”, que irá compor as aulas de História das turmas de 3º

PF diz que perfis bloqueados por Moraes continuam realizando lives

PF diz que perfis bloqueados por Moraes continuam realizando lives

A Polícia Federal (PF) concluiu que perfis bloqueados por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes continuam realizando transmissões ao vivo e interações com usuários brasileiros

Encontro do PT que definirá pré-candidatura será restrito aos delegados

Encontro do PT que definirá pré-candidatura será restrito aos delegados

O Encontro Municipal do Partido dos Trabalhadores, que será realizado no domingo (21), a partir das 8 horas, no Salão Pedro Lazar, no Oasis Atlantico, será restrito aos 200 delegados

Anvisa tem maioria para manter proibição de cigarros eletrônicos

Anvisa tem maioria para manter proibição de cigarros eletrônicos

A maioria dos diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) votou nesta sexta-feira (19) por manter a proibição aos cigarros eletrônicos no Brasil. Com esse placar, continua proibida a

“Este é Elon Musk”

“Este é Elon Musk”

"Musk diz que é preciso uma geleia geral, sem Estado e sem classes estruturadas, para que a sociedade só reconheça os sujeitos como indivíduos em luta", aponta o ex-ministro e

Dino quer ouvir Congresso sobre suposta ilegalidade em emendas

Dino quer ouvir Congresso sobre suposta ilegalidade em emendas

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Flávio Dino concedeu nesta sexta-feira (19) prazo de 15 dias para o Congresso se manifestar sobre o suposto descumprimento dos fundamentos da decisão