Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Café Colonial em Guaramiranga – por Mirelle Costa

(Patrícia Leitão e eu em um fim de tarde. Foto: Juliao Junior)
(Patrícia Leitão e eu em um fim de tarde. Foto: Juliao Junior)

Comida boa e preço justo em um ambiente instagramável. Eu sempre busco tudo isso junto. Tudo o que é artesanal tem a minha preferência. Gosto de provar nossos sabores e eternizá-los na memória. Conheci o Vogel Café Colonial, em Guaramiranga. Dessa vez, resolvi sair um pouco do centrinho para conhecer novos lugares, e tem, viu? Uma casa temática, inspirada na Europa, e, principalmente, com uma gastronomia convidativa.

Vogel Café Colonial
(Foto: Divulgação)
(De quinta a segunda, café colonial na mesa, em torno de vinte itens por pessoa. Aos sábados e domingos, a Casa tem buffet livre)
(De quinta a segunda, café colonial na mesa, em torno de vinte itens por pessoa. Aos sábados e domingos, a Casa tem buffet livre)

“A ideia é que você se sinta em um ambiente familiar com uma gastronomia diferenciada, como pato e alguns pratos franceses, como o Cassoulet francês. A massa da pizza é feita na casa. No café colonial, trabalhamos com massas e geleias artesanais, frutas e produtos aqui da serra de Guaramiranga também”, explica a proprietária Patricia Leitao.

Bolo

“O PÃO DE COCO DAQUI É UM SUCESSO A PARTE”

“Nosso pão de coco é feito por um morador de Guaramiranga, de forma artesanal e, sem dúvida, é um sucesso. Fizemos um pedido de quarenta pães para o fim de semana e já estamos com o estoque quase esgotado. Temos aqui na serra umas quinze famílias centenárias na produção do café e precisamos incentivar esses produtores. Fazemos questão de comprar a nossa matéria prima aqui, para contribuir com a economia de Guaramiranga. As frutas e verduras da serra são de muita qualidade. Vendemos o café serrano aqui na Vogel”, Antonius Dantas, sócio da Vogel.

Café Colonial Café Colonial,Guaramiranga Blog do Eliomar
(Patricia Leitão é corretora de imóveis e empresária. Foto: Juliao Junior )
Patricia Leitão é corretora de imóveis e empresária. Foto: Juliao Junior

A foto gigante (acima), disputada para as fotos, foi inspirada em Rothenburg. A ambientação do lugar tem lustres de carroça e os sócios estão sempre trazendo novidades. Agora, no mês de junho, o café colonial será em clima junino, com sax nordestino aos fins de semana.

(O Vogel Café Colonial está localizado na CE 356, s/n Boulevard, em Guaramiranga)
(O Vogel Café Colonial está localizado na CE 356, s/n Boulevard, em Guaramiranga)

“SOMOS O PRIMEIRO CAFÉ COLONIAL DE GUARAMIRANGA”

“O café colonial tem origem alemã e faz sucesso no mundo inteiro. Será que só tem valor se for o de Gramado? Por que não valorizarmos o que temos e, muitas vezes, nem divulgamos ? Guaramiranga tem muito potencial. Por isso, resolvi fazer o primeiro open mall do município. Somos reserva de Mata Atlântica, isso é muito importante. Por isso, quis colocar o nome da casa de Vogel, que significa pássaro. Já parou pra pensar que tudo o que tem nome tem valor? Jericoacoara tem a Vila, Canoa Quebrada tem a Broadway, e Guaramiranga tem muito a oferecer além da praça. Adotamos o nome Villa Guaramiranga a esse espaço do Boulevard”, conta Patrícia Leitão.

(Patrícia Leitão e eu em um fim de tarde. Foto: Juliao Junior)
(Patrícia Leitão e eu em um fim de tarde. Foto: Juliao Junior)

No restaurante temático com mirante, o termômetro é um charme a parte. Está localizado em um mall próximo aos condomínios Monte Flor, Monte Verde e Montserrat.

(Foto: Juliao Junior)
(Foto: Juliao Junior)

“E O CEARÁ TEM SERRA?” 

“Infelizmente, ainda tem gente que pergunta isso. Eu tenho um perfil no Instagram que é o Guaramiranga Blog @GUARAMIRANGABLOG e lá divulgo as belezas do município e o crescimento orgânico é surpreendente. São duzentos anos de história do café de Guaramiranga que, para muitos, ainda é desconhecida. Recentemente, a revista Valor Econômico publicou uma reportagem valorizando o café da serra. Estamos no meio da Mata Atlântica. A toda hora a gente se surpreende com a variedade da nossa fauna. Um dia desses, trabalhando, vi um pica pau. Então, precisamos preservar o que temos e incentivar o turismo de experiência”, explica Patrícia Leitão que é filha do escritor e membro da Academia Cearense de Letras, Juarez Leitão. 

(Foto: Juliao Junior
(Foto: Juliao Junior)

EXPERIÊNCIA DA COLUNISTA  

Decidimos subir a serra, eu e meu esposo, Juliao Junior, em plena segunda-feira, para comemorar o aniversário dele. Pensei, de última hora, como poderia fazer aquela surpresa com bolinho e parabéns. Descobri o Vogel café colonial e, adivinha? Aberto em plena segunda-feira. Um lugar que ainda não conhecíamos, com mirante, clima gostosinho, tudo o que eu queria oferecer a ele. Mas ainda não tinha o bolinho dos parabéns. Entrei em contato pelo Instagram e a Amanda me atendeu super bem. Combinamos toda a surpresa e, quando meu marido menos esperava, a equipe entrou com o bolo e as velhinhas. Imagina aí: aquele bolo fofinho, ainda morninho, coberto com chocolate, a ser degustado no pé da serra, com um friozinho de 21 graus?! Você tem dúvidas de que foi inesquecível? 

EXPERIÊNCIA DA COLUNISTA  

Decidimos subir a serra, eu e meu esposo, Juliao Junior, em plena segunda-feira, para comemorar o aniversário dele. Pensei, de última hora, como poderia fazer aquela surpresa com bolinho e parabéns. Descobri o Vogel café colonial e, adivinha? Aberto em plena segunda-feira. Um lugar que ainda não conhecíamos, com mirante, clima gostosinho, tudo o que eu queria oferecer a ele. Mas ainda não tinha o bolinho dos parabéns. Entrei em contato pelo Instagram e a Amanda me atendeu super bem. Combinamos toda a surpresa e, quando meu marido menos esperava, a equipe entrou com o bolo e as velhinhas. Imagina aí: aquele bolo fofinho, ainda morninho, coberto com chocolate, a ser degustado no pé da serra, com um friozinho de 21 graus?! Você tem dúvidas de que foi inesquecível?
(O time do Vogel Café Colonial)
(O time do Vogel Café Colonial)

Obrigada pelas memórias e pela experiência!
Voltaremos!

COMPARTILHE:
Mais Notícias
Cafezim junino com literatura – por Mirelle Costa

Cafezim junino com literatura – por Mirelle Costa

Que livro harmoniza com os quitutes de São João? Amanhã é o dia do santo protetor dos casados, padroeiro dos doentes e que ajuda a abrir os caminhos.  Separa a

As Traças, os livros e o tempo – por Mirelle Costa

As Traças, os livros e o tempo – por Mirelle Costa

Resistir é verbo de ação. Conheci o Clube de Leitura As Traças, que existe há trinta anos, em Fortaleza. Cheguei em dia de celebração, na festa das três décadas. Além de cheiro de livro, senti um cheiro de vida pulsante, em movimento.

Que livro você indicaria para o dia dos namorados?! – por Mirelle Costa

Que livro você indicaria para o dia dos namorados?! – por Mirelle Costa

Cafezim com Literatura - Edição Especial Pedimos uma ajudinha aos amantes da literatura. Confira! O Coletivo de leitura Leituras paralelas Indica "Desculpe o exagero, mas não sei sentir pouco" Resumo

Café Colonial em Guaramiranga – por Mirelle Costa

Café Colonial em Guaramiranga – por Mirelle Costa

Comida boa e preço justo em um ambiente instagramável. Eu sempre busco tudo isso junto. Tudo o que é artesanal tem a minha preferência. Gosto de provar nossos sabores e

A cafeteria virou o terceiro lugar de muita gente – por Mirelle Costa

A cafeteria virou o terceiro lugar de muita gente – por Mirelle Costa

Debaixo de chuva, protegida com uma sombrinha, a pé e com o livro embaixo do braço: Assim encontrei Lara Pontes, socióloga, que tem a confeitaria La Dulce Vita como um

Subi a serra pra tomar café – por Mirelle Costa

Subi a serra pra tomar café – por Mirelle Costa

Subi a serra para provar o café do maciço de Baturité, mais especificamente em Guaramiranga. O sítio Águas Finas recebe visitantes diariamente para um passeio histórico cultural com visita ao