Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

“Quando os poderosos controlam a opinião pública, as eleições não são reais”

Caitlin Johnstone é jornalista

“Em um sistema capitalista, aqueles que controlam o capital controlam quais ideias e informações serão ingeridas pela maioria das pessoas”, aponta a jornalista Caitlin Johnstone. Confira:

Tenho ignorado a corrida presidencial dos EUA porque a eleição é manipulada.

Quando alguém diz que as eleições presidenciais dos EUA são manipuladas, há uma série de coisas que poderiam significar com isso. Eles poderiam estar alegando que os votos são ativamente adulterados para garantir um resultado específico, como os republicanos frequentemente alegaram na eleição de 2020. Mas essa não é a alegação que estou apresentando aqui — embora os EUA realmente tenham as eleições mais disfuncionais de qualquer democracia liberal na Terra.

Eles também poderiam estar falando sobre como a corrupção legalizada nos Estados Unidos permite que os ricos manipulem os resultados das eleições e extraiam lealdades políticas por meio de doações de campanha. Embora isso certamente seja um fato bem estabelecido, não é disso que estou falando aqui tampouco.

Eles também poderiam estar falando sobre o fato de que não importa quem ganha a eleição, já que o presidente dos EUA é apenas um figurante que finge governar um país que na verdade é governado por plutocratas não eleitos e gerentes do império em agências governamentais secretas. Novamente, isso é absolutamente verdade, mas não é disso que estou falando neste ensaio específico.

Na verdade, você poderia corrigir todos os problemas no sistema de votação estadunidense, e as eleições presidenciais dos EUA ainda assim seriam manipuladas. Você poderia corrigir as leis de financiamento de campanha a ponto de os ricos não conseguirem mais usar doações de campanha para alcançar os resultados políticos desejados, e as eleições presidenciais dos EUA ainda seriam manipuladas. Você poderia dar ao presidente dos EUA todos os poderes reais de liderança governamental que lhe fizeram acreditar que ele tinha quando era criança, e as eleições presidenciais dos EUA ainda assim também seriam manipuladas.

As eleições presidenciais dos EUA ainda seriam manipuladas porque a opinião política dominante ainda seria moldada pelas pessoas ricas e poderosas que controlam as fontes das quais os estadunidenses foram treinados para obter as suas informações. Enquanto os ricos e poderosos puderem manipular a opinião pública em larga escala por meio da mídia corporativa, de Hollywood e da manipulação de algoritmos do Vale do Silício, eles podem manipular as eleições como quiserem.

Há uma citação atribuída a Albert Einstein que circula nas redes sociais há anos, que geralmente diz algo como: “Chegará um momento em que os ricos possuirão todos os meios de comunicação, e será impossível para o público formar uma opinião informada.” Ao contrário da maioria das citações legais que você verá atribuídas a Einstein na internet, esta é baseada em algo que o renomado físico teórico realmente disse — exceto que ele não estava prevendo algo que aconteceria no futuro, ele estava falando sobre algo que já havia acontecido quando escreveu sobre isso em 1949.

Em seu ensaio “Por que o Socialismo?”, Einstein escreveu o seguinte para a Monthly Review:

“O resultado desses desenvolvimentos é uma oligarquia de capital privado cujo enorme poder não pode ser efetivamente controlado, mesmo por uma sociedade política organizada democraticamente. Isso é verdade, pois os membros dos corpos legislativos são selecionados por partidos políticos, amplamente financiados ou de outra forma influenciados por capitalistas privados que, para todos os efeitos práticos, separam o eleitorado do legislativo. A consequência é que os representantes do povo não protegem, de fato, suficientemente os interesses das seções desfavorecidas da população. Além disso, nas condições existentes, os capitalistas privados inevitavelmente controlam, direta ou indiretamente, as principais fontes de informação (imprensa, rádio, educação). É, portanto, extremamente difícil e, na maioria dos casos, praticamente impossível, para o cidadão individual chegar a conclusões objetivas e fazer uso inteligente de seus direitos políticos.”

Isso era verdade quando Einstein o escreveu há 75 anos, e continua sendo verdade hoje. Continua sendo verdade hoje porque Einstein não estava criticando as pessoas e eventos individuais de sua época, mas os sistemas sociais abrangentes que ainda estão em vigor agora.

Em um sistema capitalista, aqueles que controlam o capital controlam quais ideias e informações serão ingeridas pela maioria das pessoas. Em um sistema democrático de governo — mesmo um com um sistema de votação sólido e sem dinheiro permitido na política — isso sempre dará aos ricos a capacidade de manipular as eleições, manipulando a opinião pública usando propaganda.

E eles fazem isso. Além de comprar veículos de mídia inteiros e controlar as ações sobre eles, os ricos despejam dinheiro para reforçar o controle da narrativa por outros meios, como think tanks, operações de informação online como NewsGuard e Wikipedia, e a manipulação de algoritmos por megacorporações online como o Google. Isso lhes dá a capacidade de moldar a visão de mundo da maioria do público, garantindo assim que as eleições resultem em resultados que fortaleçam o status quo sobre o qual os ricos construíram suas fortunas.

Isso é verdade em todas as eleições dos EUA de consequência significativa, não apenas nas eleições presidenciais, e é verdade em todo o mundo ocidental, não apenas nos Estados Unidos. Estamos sendo psicologicamente manipulados em larga escala desde a infância, nossas mentes continuamente moldadas por pessoas que usam a sua riqueza para dominar as nossas narrativas compartilhadas sobre como as coisas estão indo, o que está acontecendo no mundo e o que deve ser feito a respeito. Aprendemos sobre o nosso mundo com pais profundamente doutrinados e professores profundamente doutrinados que cresceram no mesmo ambiente de informação que reforça o status quo que nós, e nossa doutrinação continua através de todas as telas em nossas vidas até nosso último suspiro.

Você pode corrigir todo o resto que está errado com o seu sistema político, mas, a menos que você também tire a capacidade da classe capitalista de manipular psicologicamente o público para apoiar um status quo político que foi artificialmente moldado pelos poderosos em benefício dos poderosos, nada significativo mudará. As guerras continuarão, a oligarquia continuará, a desigualdade e a injustiça continuarão, a exploração e a extração continuarão, o ecocídio continuará.

É por isso que sempre coloco ênfase na importância do controle da narrativa e como isso está acontecendo — porque é daí que surgem todos os nossos outros problemas, e porque até abordarmos esse problema não seremos capazes de abordar os outros.

Felizmente, é possível resolver esse problema. Nós, pessoas comuns, estamos em desvantagem porque não podemos nos dar ao luxo de comprar todos os meios de comunicação e plataformas mais influentes em nossa sociedade para impor as nossas preferências políticas como os plutocratas podem, mas estamos em vantagem porque há muito mais de nós do que deles — e porque temos a verdade e a autenticidade do nosso lado.

Nenhum de nós pode, sozinho, enfrentar a máquina de propaganda imperial, mas juntos todos podemos travar uma guerra de informação com o objetivo de desmascarar as narrativas imperiais e desacreditar a propaganda imperial aos olhos do público. Podemos fazer isso usando todas as plataformas e meios que pudermos conseguir para despertar as pessoas para a verdade em todas as oportunidades, para que possam ajudar a se juntar à luta. Quanto mais pessoas perceberem que foram enganadas a vida inteira sobre o que está acontecendo em sua sociedade, mais pessoas haverá para ajudar a enfraquecer o controle da narrativa imperial.

Todos os desenvolvimentos positivos no comportamento humano são sempre precedidos por uma expansão da consciência, seja falando sobre humanos como indivíduos ou como coletivo. Isso não é diferente. Se você puder aproveitar todas as oportunidades para ajudar a espalhar a consciência da verdade e abrir outro par de olhos para a realidade de nossa situação, então você estará usando a sua energia para atacar o império no seu ponto mais fraco da maneira mais eficiente possível.

Ganhando ou perdendo, se você dedicar sua vida a essa luta, poderá definitivamente dizer no final que deu tudo de si.

Caitlin Johnstone é jornalista na Austrália

COMPARTILHE:
Mais Notícias
CNJ afasta desembargador que falou em mulheres loucas atrás de homens

CNJ afasta desembargador que falou em mulheres loucas atrás de homens

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou nesta quarta-feira (17) o afastamento do desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) Luís Cesar de Paula Espíndola. A medida foi tomada

Servidores do INSS em greve no Ceará pedem apoio à população

Servidores do INSS em greve no Ceará pedem apoio à população

Servidores do INSS que entraram em greve no Ceará, nesta terça-feira (16), pedem apoio à sociedade, especialmente às pessoas que buscam algum serviço e conhecem as dificuldades para a liberação

Governo estende prazo para adaptação a regras do teletrabalho

Governo estende prazo para adaptação a regras do teletrabalho

Órgãos e entidades da Administração Pública Federal terão mais 90 dias para se adequar às novas regras do Programa de Gestão e Desempenho (PGD). Instrução Normativa publicada nesta quarta-feira (17)

Fortaleza x Vitória – É matar ou morrer para as duas equipes, mas com interesses diferentes

Fortaleza x Vitória – É matar ou morrer para as duas equipes, mas com interesses diferentes

Para o Fortaleza, somente a vitória interessa para, enfim, ingressar no grupo da Libertadores. Para o Vitória da Bahia, somente os três pontos interessam para sair da porta da zona

Anvisa aprova projeto de implementação de bula digital para medicamentos

Anvisa aprova projeto de implementação de bula digital para medicamentos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou um projeto-piloto que garante a implantação de bula digital nos medicamentos e que poderá ser acessada pela leitura, nas embalagens, de um

E o motorista, quem responde pela vida do trabalhador?

E o motorista, quem responde pela vida do trabalhador?

"Professora relata sequestro em veículo de aplicativo no Rio de Janeiro", aponta a jornalista e professora Sara York. Confira: A professora Ana Cláudia de Souza, da Universidade Federal de Santa