Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

“De metáforas vivemos nós, da revolução semântica vivem os reconstrutores da realidade”

Paulo Elpídio de Menezes Neto é cientista político, professor e escritor, além de ex-reitor da UFC

“Fomos, como soldados, forjados pela argúcia dos Estados-maiores e pela admiração colhida na sociedade, ainda que nos dominasse m a ideia de sermos um exército de origens plantadas no povo”, aponta o cientista político Paulo Elpídio de Menezes Neto. Confira:

Como os exércitos nascem, vivem, ampliam, ampliam as suas conquistas — e morrem.

Parece um ciclo prolongado, tomado de fraturas, de vitórias e derrotas.

Outrora, não havia alistamento, homens e jovem válidos eram recolhidos nas ruas, nas suas casa e nas vendas.

Os marujos das embarcações de guerra e de cabotagem, eram recolhidos nas pensões e bares dos portos — e levados a ferro para os ourões das belonaves…

Trotsky formou e tornou aguerrido o exército vermelho com a adesão dos ativistas e de camponeses recalcitrantes.

Napoleão perdeu dois terços dos seus exércitos invencíveis no cerco de Moscou e de São Petersburgo.

Negros, índios, pobres e escravos foram arrebanhados e mandados ao encontro das tropas de Lopez — descalças, encontraram-se nas divisões de segunda classe, prontas para o sacrifício patriótico. Transformaram-se em heróis na retirada da Laguna.

Mas nem sempre foi assim. A formação profissional de soldados já vinha de tempos distantes, a história tem sob a sua guarda e custódia estes registros, vêm de Esparta e Roma e dos bárbaros
subindo Ocidente acima na missão de destruir impérios e orgulhosas civilizações.

As escolas militares foram o apanágio do emolduramente de grandes chefes de exércitos e esquadras. Mercenários, a exemplo de Cochrane e oficiais de honrada estirpe da nobreza fizeram figura vistosa, transformaram-se em Wellington, Patton, Napoleão, Rommel e Lott, “soldados absolutos” de um novo mundo e das novas fronteiras plantadas com a sua astúcia. Deles, não se apontaria a ambição de atravessar o Rubicão. De alguns, sim…

A Wermarcht foi dissolvida para renascer à sombra da OTAN…

Os partidos, conhecidos como tropas de assalto das democracias, construíram realidades provisórias e improváveis de fantasias compartilhadas pelos “condottieri” das armas e da desrazão.

O exército chileno nasceu e cresceu sob disciplina teutônica da influência da cultura militar germânica — foi ele matriz e molde de muitas ditaduras.

No Brasil, tivemos os nossos exércitos da borracha, mas também uma força expedicionária que honrou as nossas aspirações democrática de liberdade. Elegemos Napoleão e os seus marechais-de-campo como exemplo da estratégia e da fortaleza das suas táticas. Fizemo-nos no cadinho da experiência francesa nos campos de conquista e de defesa. Fomos, como soldados, forjados pela argúcia dos Estados-maiores e pela admiração colhida na sociedade, ainda que nos dominasse m a ideia de sermos um exército de origens plantadas no povo.

Golpes, revoluções de bolso e de gabinetes não foram poucas. À falta de inimigos externos com vontade de guerrear, enfrentávamos os nosos próprios inimigos internamente. Dizem os psicólogos que os inimigos “internos” são mais perigosos finque o “externos”. Na vida das na les, também.

O exército francês e a polícia, na vigência do Estado de Vichy, tornaram-se gendarmerias, guardas de fronteiras e agentes policiais, alguns, secretos…

Com o desenvolvimento da guerra virtual , com a ajuda de aplicativos eficientes e da inteligência artificial, os exércitos serão formados por hackers.

As batalhas travam-se, agora, pelos computadores, nas escolas e nas universidades, os políticos perderam a sua função originária e a legitimidade dos atos de governabilidade dá-se pelo silêncio do que se chamou um dia de “cidadãos”. A fé não consegue explicar o que antes lhe servia de controle sobre as dóceis e ingênuas criaturas crédulas. Marx tentou explicar o que se passava e como sair daquela situação: bolou astúcias requintadas de dialética e os seus herdeiros preparam-se para o desfecho do golpe final…

Já não há mais campos de batalha e trincheiras. Tudo se transformou em metáfora, por força de uma revolução semântica incontrolável que nem Gramsci e Paulo Freyre foram capazes de antecipar…

Predominam sobre a força das armas, a inteligência jurídica, a semântica dos tropos e a ciência do direito. A feitura ou a reconstrução da realidade, as versões que lhe podem ser dadas, sobrepõem-se à verdade e à mentira, como razões de Estado.

Paulo Elpídio de Menezes Neto é cientista político, professor, escritor e ex-reitor da UFC

COMPARTILHE:
Mais Notícias
Jade integra comissão brasileira em evento na Suíça contra discriminação da mulher

Jade integra comissão brasileira em evento na Suíça contra discriminação da mulher

O Ceará foi referenciado na Suíça como o Estado brasileiro que mais possui Casas da Mulher no país, durante a 88ª Sessão da Comissão sobre a Eliminação de Todas as

Moraes suspende processos baseado em norma que proíbe a assistolia

Moraes suspende processos baseado em norma que proíbe a assistolia

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou nesta sexta-feira (24) a suspensão de processos judiciais e administrativos baseados na resolução aprovada pelo Conselho Federal de Medicina

“A tragédia do Rio Grande e os bichos brasileiros”

“A tragédia do Rio Grande e os bichos brasileiros”

"O velho Eça jamais poderia imaginar que um filhote da Pátria lusitana pudesse gerar gente tão mesquinha, que nem mesmo sob a mais tenebrosa intempérie, é incapaz de irmanar-se na

PF fecha 13 empresas clandestinas de segurança no Ceará

PF fecha 13 empresas clandestinas de segurança no Ceará

A oitava fase da Operação Segurança Legal encerrou as atividades de 13 empresas clandestinas no Ceará, de janeiro até essa quinta-feira (23), que executavam segurança privada sem autorização do órgão.

Enem 2024 – Inscrições começam na segunda-feira

Enem 2024 – Inscrições começam na segunda-feira

O período de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 começa na próxima segunda-feira (27) e segue até 7 de junho. A inscrição é feita através da Página

PubliEditorial Sebrae – Capacitações Gratuitas para se tornar um profissional de destaque com o Sebrae/CE

PubliEditorial Sebrae – Capacitações Gratuitas para se tornar um profissional de destaque com o Sebrae/CE

A educação empresarial proporciona mudanças significativas dentro e fora da organização, pois os benefícios proporcionados por ela não se restringem apenas a questões burocráticas da empresa, mas também desenvolve a