Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Leituras paralelas: uma viagem por mais de quarenta títulos – por Mirelle Costa

As cafeterias abraçaram os clubes de leitura, desde que a pandemia permitiu os encontros presenciais. A Chacra, a Bleecker Café e outras receberam o Leituras Paralelas, que hoje está com vinte participantes. Mais de quarenta títulos foram lidos e discutidos pelo grupo lotado, com fila de espera. “Os encontros acontecem, geralmente, uma vez por mês. No entanto, podem acontecer duas edições também. O Leituras Paralelas surgiu no ano da pandemia e se fortaleceu com os encontros presenciais”, explica Mirna Frota, que integra o clube desde o início e, agora, o coordena, em parceria com Renato Braz.

(A histórica primeira foto do clube Leituras Paralelas, que nasceu em janeiro de 2020, por iniciativa da cafeteria Bleecker // Foto: Arquivo pessoal)
(A histórica primeira foto do clube Leituras Paralelas, que nasceu em janeiro de 2020, por iniciativa da cafeteria Bleecker // Foto: Arquivo pessoal)

A escolha dos títulos acontece por votação dos membros. “Escolhemos aos poucos, de forma bem variada, por nacionalidade do autor e também por gênero. Os moderadores do grupo sugerem e todo mundo vota. Por exemplo, já fizemos a leitura de escritores russos ou latinos e abordamos gêneros de ficção científica, romance e outros. Promovemos escritores cearenses também. Lemos um livro da Tércia Montenegro e outro do escritor Lúcio Flávio Gondim, como também já trouxemos Stenio Gardel”, explica a moderadora. A próxima leitura será Salvar o Fogo, do premiado Itamar Vieira Júnior.

(O grupo contou com a participação da escritora Tércia Montenegro, no encontro que teve como tema a leitura do seu primeiro romance, Turismo para Cegos, lançado em 2015 // Foto: Divulgação)
(O grupo contou com a participação da escritora Tércia Montenegro, no encontro que teve como tema a leitura do seu primeiro romance, Turismo para Cegos, lançado em 2015 // Foto: Divulgação)
(O encontro sobre a obra Salve Rainha, do escritor cearense Lúcio Flávio, aconteceu na Chacra Cafeteria e contou com a presença do autor e também da escritora Tércia Montenegro // Foto: Divulgação)
(O encontro sobre a obra Salve Rainha, do escritor cearense Lúcio Flávio, aconteceu na Chacra Cafeteria e contou com a presença do autor e também da escritora Tércia Montenegro // Foto: Divulgação)

O apoio das cafeterias é fundamental para que os encontros aconteçam. A Bleecker chegou a criar vários grupos, como o de leitura, de cinema e filosofia. “A Bleecker Café é uma cafeteira fundada em 2018, que tem a cultura e a boa comida como seus carros-chefe. Com o objetivo de reunir amantes da literatura, foi fundado o Leituras Paralelas (@leituras_paralelas), em janeiro de 2020, que, rapidamente, cresceu, reunindo vários adeptos. O Clube logo ganhou a estrada e passou a ser itinerante”, diz Klayton Ximenes, proprietário da Bleecker Café.

Vida longa aos clubes de leitura e que as cafeterias abraçem cada vez mais a literatura, pois essa combinação é perfeitinha <3

DICA DE LEITURA

Nayara Felizardo, jornalista premiada do Intercept Brasil, indica duas leituras.
Leituras paralelas Leituras paralelas,clubes de leitura,Mirelle Costa Blog do Eliomar

Seguem as dicas:

Livro: O Mundo se Despedaça
Livro: O Mundo se Despedaça

Um dos livros mais importantes da literatura africana do século XX, O Mundo se Despedaça conta a história do guerreiro Okonkwo, da etnia ibo, estabelecida no sudeste da Nigéria. Okonkwo, um dos principais opositores dos missionários brancos, precisa encarar a desintegração da vida tribal e de tudo o que conhecia até então.

Publicado originalmente em 1958, dois anos antes da independência da Nigéria, o romance de estreia de Chinua Achebe foi traduzido para mais de quarenta idiomas e consolidou o autor como um dos mais notáveis de sua geração. (Resumo da obra extraído da internet)

O Nascimento de Joicy
O Nascimento de Joicy

Neste livro arrebatador, O Nascimento de Joicy, a jornalista Fabiana Moraes conta a história da transexual Joicy, ex-agricultora que procura o serviço público de saúde para adequar seu corpo masculino ao feminino que deseja para si. A obra também mostra os bastidores da reportagem, vencedora do Prêmio Esso, e expõe a complicada relação com sua personagem, além de apresentar um ensaio no qual defende um jornalismo mais subjetivo. (Resumo da obra extraído da internet)

COMPARTILHE:

2 respostas

  1. Uma salva de palmas aos clubes de literatura, em especial aos de Fortaleza!

    O hábito da leitura ajuda a nos desligar das redes sociais e diminui a ansiedade, melhorando nossa qualidade de vida! Estar no
    Leituras Paralelas preserva não só a boa rotina da leitura, como também bons amigos! Muito feliz com a Matéria, obrigado!

  2. Muito obrigada pela matéria. Ficou linda, Mirelle.

    Foi um prazer poder compartilhar um pouco da nossa história.

Mais Notícias
14 de abril – Dia Mundial do Café – Por Mirelle Costa

14 de abril – Dia Mundial do Café – Por Mirelle Costa

Explorando os Mistérios e Sabores do Café na Chacra Cafeteria: Uma Jornada Sensorial para Celebrar o Dia Mundial do Café Para celebrar O DIA MUNDIAL DO CAFÉ, tomamos a bebida

Atmosfera Cultural e História: minha experiência na Sublime Café – por Mirelle Costa

Atmosfera Cultural e História: minha experiência na Sublime Café – por Mirelle Costa

O clima é assim: Você chega, no meio da semana, pede um café e, do nada, pode estar rolando ensaio de algum artista cearense, ou mesmo, de repente, entra Theresa

Leituras paralelas: uma viagem por mais de quarenta títulos – por Mirelle Costa

Leituras paralelas: uma viagem por mais de quarenta títulos – por Mirelle Costa

As cafeterias abraçaram os clubes de leitura, desde que a pandemia permitiu os encontros presenciais. A Chacra, a Bleecker Café e outras receberam o Leituras Paralelas, que hoje está com

Existe idade certa para escrever? – por Mirelle Costa

Existe idade certa para escrever? – por Mirelle Costa

"Eu sou praticamente uma analfabeta que sempre teve vontade de escrever. O livro Tropeços da Vida, na verdade, são minhas memórias, nascidas de algo que vivia martelando na minha cabeça

Café com chocolate: Brasilidade, sabor e sustentabilidade são a marca da dengo – por Mirelle Costa

Café com chocolate: Brasilidade, sabor e sustentabilidade são a marca da dengo – por Mirelle Costa

Fui conhecer a Dengo, uma empresa genuinamente brasileira. O cacau é produzido na Mata Atlântica, mais especificamente no Sul da Bahia. Sem aromatizantes e com opções sem leite de vaca,

Projeto Meros do Brasil leva bibliotecas para nove Estados – Por Mirelle Costa

Projeto Meros do Brasil leva bibliotecas para nove Estados – Por Mirelle Costa

Proposta das bibliotecas itinerantes do Projeto Meros do Brasil Mais de 20 títulos celebram a natureza, a infância, o brincar – assuntos atuais e urgentes Dentro de uma pequena bolsa